Nova despedida de Londres

Londres, 10.10.75, Sexa-Feira. 

Ao almoçar naquela sexta-feira, véspera de retornar ao Rio, lembrei deste encontro com Sir David Hunt e de sua permanência como embaixador no recente passado. Um de seus filhos, Richard, já aqui em Londres, conheci em casa de Antônio Olinto. Ora, não muito tempo depois, visito-lhe o pai em seu clube e nos sentamos à mesa para o drinque. Dessa vez, posso dizer, o conheci em suas idéias liberais e percebi quanto gostava do Brasil.

Naquele local sentia quanto os ingleses apreciavam o clube na área de suas relações sociais, pois Londres é enorme e toda a existência da pessoa pode afogar-se no passado sem as relações da juventude e até da infância. Pode-se dizer que o pub esteja tecido desde o clima comum de vizinhança urbana até os patamares da vida financeira e política.

Ao que Sir Richard visava, em minha visita, era certificar-se de que íamos bem em nossos projetos de crescimento econômico e avanço cultural. Conversamos sobre literatura em razão de rápida menção a Aldous Huxley, o que suscitou outro convite a Pall Mall em próximo regresso a Londres. E naquele encontro, falou-me daquela arquitetura primorosa, respondendo em seu profundo conhecimento de arqueologia histórica ao citar Charles Barry, que Huxley também integrara no Pointer Counter Point.

Mais tarde diría eu a Richard, seu filho, todo o nosso encontro, pois o moço era admirador do pai e buscava em pesquisas, entender como lhe fora possível deixar a arqueologia da Grécia a fim de ser diplomata.

Published in: on junho 5, 2010 at 4:21 pm  Deixe um comentário  
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.