Adversários cordiais

Buenos Aires, 9 a 14.2.Domingo

Argentina e Brasil=Espanha-Portugal. Quais as diferenças? Certo estou de que, Hispanidad e Portugalidade são dois estados de espírito com alguns indícios fortes de similitude e disposições históricas de confrontos.

Não há, salvo a exceção da batalha de Alcácer Kibir, outra  espécie de unificação. Problemas de casamentos e de fronteiras deram-se por séculos, muitas vezes inexplicáveis até batalhas sem vencidos ou vitoriosos.

Na verdade, manifesta-se a portugalidade em razão e mistério do ponto de vista da tradição e de uma arqueologia que no dizer de Antônio Quadros, reflete a presença da Atlântida desocupada. A condição de arquétipo lusitano pressupõe o país templário e tudo mais converge-se para o sentimento de Fernando Pessoa em cinco séculos de maturação.

O orgulho camoniano não se justifica sem a intensidade dos descobrimentos marítimos, sendo que a nostalgia, ou seja, a saudade se tece desde o homem singular até a nação inteira mobilizada para uma guerra impossível contra outro adversário que só possa ser a Espanha.

A Península Ibérica apresenta-se partida ao meio; de um lado, o instinto da cultura perdida entre Açores e Madeira e, do outro, apesar dos elementos  idênticos de romanos, celtas, visigodos e árabes, o mistério, a hispanidad, como em resposta aos Lusíadas idealizado em duas  figuras patéticas: D.Quixote e Sancho Pança.

Portugal vence a Espanha em razão de tenacidade, tomando em condição de mito a própria Aljubarrota junta à Capela Imperfeita de Batalha com os D.João I e seus filhos incompletos.

Mas tanto eu quanto Ana Elisa, na semana, dia a dia, não pensamos senão visitar Buenos Aires em percursos extensos de ruas e avenidas. Sentia-me próximo a dúvidas de que só seriam confirmadas após costurar-me um dia tanto em Castela, quanto em Aragão, tanto em Galiza quanto em Meio Dia.

Só após conhecer Toledo e suas riquezas, teria em minhas mãos o sentido do ressentimento existente entre as duas irmãs vizinhas. E só assim também perceberia com profundidade o que há entre Argentina e o Brasil. A rivalidade esportiva não conta, é o pormenor sem grandeza.

Quando almoçamos em Los Angelitos, concluímos que à tarde de domingo seria da Feira de Santelmo e para lá nos dirigimos, sem esquecer de juntar vistas e mais vistas do casario.

Animados pelo vinho ou pelas cepas francesas, fomos seguindo até a sobretarde, quando retornamos de carro para o Hotel.

Sim, andamos a vistoriar a forma, mas em nossa cabeça pesava a dicotomia da portugalidade e hispanidad.

Anúncios
Published in: on agosto 15, 2009 at 4:40 pm  Deixe um comentário  

The URI to TrackBack this entry is: https://pmercadante.wordpress.com/2009/08/15/adversarios-cordiais/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: