Um dia quase vazio

Leça do Balio, 23.11.74. Sábado.

Giramos pelo Porto. Venho observando. A reserva, a introspecção, a hospitalidade. Mas não é o certo. O desconfiado é o irmão quando ganha certeza da lealdade do peregrino. Assim ainda é em Minas, como em Portugal.

José Carlos foi ao trabalho, fiquei só e da Rua Santa Catarina, retornei e subi até a Catedral. Revisitá-la, certamente, observar o pátio e rever o ponto de partida dos lusitanos, quando do tempo das cruzadas.

Outra vez sento-me nos cafés e sinto a lembrança do Rio de minha chegada. O mesmo estilo. Há mais de vinte anos de agora, a guerra chegara até nós, Vargas não se definia, os alemães tomavam Smolenski e, em troca, os russos voltavam à era de Bonaparte, atirando-se à resistência suicida.

Na Catedral, circulo de altar em altar, sentindo a fadiga do passeio. Hoje, lição de arquitetura. A influência lisboetta, de raízes pombalinas. Os Almadas conseguiram, no século XVIII. A legislação inspirada em Pombal, de quem eram primos.

Mas O Porto não sofreu o terremoto para fazer a reforma profunda, conservou em suas tendências o influir de raízes barrocas do artista e arquiteto toscano Nasoni, autor da Torre dos Clérigos.

Mais tarde, os ingleses residentes na cidade deram-lhe o sabor neopaladiano. Tão importante para nós, pois de O Porto saiu para Minas Gerais uma corrente estilística, rural e fidalga.

Pela longa caminhada observo a presença da Monarquia: belas estátuas dos reis, poucos a merecerem o timbre de tiranos. Apresenta-se, fazendo sombra a Afonso Henriques, o bastardo D.João I, pai daqueles filhos sonhadores do Navegador a D.Duarte, educados por rainha inglesa que lhes incutiu o senso da universalidade.

Como em Roma, os palácios exibem o passado enquanto, divididos por pareces de madeira, dão guarida a alfaiates, sapateiros, artífices em geral.

Tudo gira em torno da exportação de vinhos que se distribuem pelo continente. O do Porto, o mais conhecido desde o Tratado de Methuen com a Inglaterra.

Anúncios
Published in: on junho 27, 2009 at 4:29 pm  Deixe um comentário  

The URI to TrackBack this entry is: https://pmercadante.wordpress.com/2009/06/27/um-dia-quase-vazio/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: