Os Primos napolitanos

-XXXIX-

Ernesto e Giambattista de Curtis

Ernesto de Curtis, bisneto pela linha materna de Savério Mercadante, napolitano famoso em toda a Europa, nasceu em 31 de dezembro de 1937.

Giuseppe Orazio, pai de Savério tivera com a esposa Isabella Bovio Mercadante, o filho Jacinto, meio irmão de Savério, seu primeiro professor de flauta, nascido em 1778 e falecido em 1848.

Em fins do século XVIII participara o último citado da revolta contra os Bourbons, sendo aprisionado e exilado. Tal circunstância perturbou-lhe uma carreira musical que possivelmente seria brilhante.

Voltando ao grande compositor altamurano, Savério Mercadante, nasceram-lhe Osvino em Novara, em 1834, e também a única filha Ismália três anos mais tarde, em 1837, batizada com o nome de Serafina Elisa Giuseppa e mais o caçula Armando em 1839.

Feitas essas considerações voltemos a Ernesto, mais conhecido como De Curtis, filho de uma das netas de Saverio, também se tornou, desde os oito anos, aluno de Vincenzo Valente, também estudando harmonia com Danielle Napolitano, e adolescente formou um grupo voltado a variedades musicais, ele próprio ao piano, nos teatros de Nápoli, Viareggio e Roma, locais onde recebeu honrosos elogios, inclusive de Giacomo Puccini.

Seu irmão Giambattista, por ele, Ernesto, converteu em música a sua canção do clássico popular A Primma Volta.

Nos anos vinte, há quase um século, já conhecido em toda a Península, veria Ernesto as suas músicas integrarem-se no repertório de Beniamino Gigli que, por mais de dez aos o levaria para os concertos nas temporadas em Londres, Paris e Nova Iorque.

Na própra cinematografia adaptou-se com êxito, produzindo, pelo menos, três trilhas sonoras para filmes. Universais tornaram-se as suas composições, entre as quais se se destacavam Muntanara e Ti Voglio tanto Bene.

Eu mesmo, o autor, então na militância da imprensa carioca, nos finais da década de quarenta, ouvi do grande tenor Tito Schipa, intrometendo-me em seu camarim do Municipal, elogiosas referências quanto ao papel dos irmãos De Curtis no popular clássico italiano.

Em verdade, o grande parceiro do compositor foi o irmão Giambattista, primeiramente dedicado à pintura, por meio da técnica de afrescos, deixando os notáveis trabalhos no Hotel Tramontano em Sorrento, depois se dedicando à lírica, redigindo a letra para a música do irmão Torna a Surriento.

Como consagra a Enciclopedia della Canzone Napoletana (Casa Editrice, Il Torchio, Napoli, 1969): il fratelli de Curtis com la loro sensibilità artistica e culturale hanno portato alla diffusione nel mondo una raffinata e classicheggiante canzone napoletana sensa privarla das sua sapore popolare”.

Anúncios
Published in: on maio 24, 2008 at 3:38 pm  Deixe um comentário  

The URI to TrackBack this entry is: https://pmercadante.wordpress.com/2008/05/24/os-primos-napolitanos/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: